Posts Tagged ‘Marina Silva’

O QUE LIGA JOAQUIM BARBOSA E MARINA SILVA?

24 de abril de 2018

Anuncia-se que Joaquim Barbosa deverá ser o candidato a presidente do PSB, Partido Socialista Brasileiro. Ex sigla de Marina Silva, ela passou a cabeça de chapa depois da morte de Eduardo Campos, na queda do jatinho Cessna Citation 560 XL.

 

A aeronave era utilizada exclusivamente pelo PSB. A campanha e o partido determinavam a agenda de viagens, comandavam e pagavam a tripulação. Mas a utilização do avião não foi incluída nas contas de campanha. A questão da propriedade da aeronave foi investigada pela Operação Turbulência, da PF.

Marina Silva também usava o  Citation. 

Uma das vítimas em terra da queda do avião, a advogada Wanda Pettinati, declarou: “Ninguém é dono do avião, era um pássaro!”.

Wanda morava na casa em cujo quintal o avião caiu. “A indignação maior é porque não tivemos assistência. Como, políticos que queriam governar o Brasil, podem ter atitudes como essa, igual a de um bandido que bate no seu carro, dá perda total e sai correndo?”- perguntou.

 

Benedito Juarez Câmara, 69 anos, era dono de uma academia que existia há 40 anos até que o acidente a destruiu. Ele revela: “Em um primeiro momento, após o acidente, o PSB se comprometeu a pagar os todos os danos. Depois da eleição veio aquela coisa: promete antes e sai fora depois.”

João Lyra, Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira, três empresários pernambucanos, foram alvos da operação Turbulência, responsável por investigar a propriedade do Cessna Citation PR-AFA, acabaram assinando um acordo de delação premiada.

Além da questão da propriedade do avião, constaram do compromisso da deleção premiada dos empresários o detalhamento de todas as transações financeiras cujos valores são oriundos de superfaturamento de obras públicas e de esquemas envolvendo algumas das mesmas empreiteiras da Lava Jato obras federais e o governo de Pernambuco.  O mesmo velho esquema da Lava Jato, com vários dos mesmos personagens.

A suspeita sempre foi de que o dinheiro usado para a compra da aeronave usada na campanha foi oriunda daqueles esquemas bem conhecidos.

Curiosamente, o assunto não está mais nos noticiários. Simplesmente não se fala mais sobre isso.

Seria importante saber o que Joaquim Barbosa e mesmo de Marina Silva, tem a dizer sobre a situação das vítimas e do andamento dos processos.

Com a palavra, os candidatos.

Mais sobre o assunto: 

https://www.conjur.com.br/2016-mar-31/psb-indenizara-danos-acidente-matou-eduardo-campos

O esquema do PSB

Anúncios

As fórmulas vazias de Marina Silva

20 de abril de 2018

A Folha de S. Paulo, em editorial, mostrou o vazio de Marina Silva:

“Sua entrevista ilustra à perfeição aquele velho hábito de não se comprometer com nada de palpável, repetindo rigidamente fórmulas vazias, como que memorizadas a custo, a despeito do que lhe perguntem os jornalistas.

Declara, por exemplo, não estar à esquerda nem à direita, mas ‘à frente’. Sim, pode-se aceitar a caracterização, desde que acompanhada de alguma especificidade. À frente do quê? O que pretende deixar para trás, e para onde caminha?

O auge de Marina: Ministra de Lula. 

(…)

Sua resposta é pouco mais do que uma fórmula verbal. Ao famigerado ‘presidencialismo de coalizão’, a candidata apresenta a alternativa de um ‘presidencialismo de proposição’ — pelo qual a sustentação parlamentar se faria em torno de iniciativas programáticas.

Quais? A candidata nada especifica. Condena a reforma trabalhista do governo Michel Temer, sem apresentar a sua. Foi ainda mais vaga no tocante a possíveis ajustes na Previdência —cuja necessidade reconhece, advertindo todavia para a conveniência de um amplo diálogo com todos os setores antes de maior definição (…).

No mais cansativo estilo do político tradicional, Marina Silva procura agradar a todos os lados. Pede votos pelo que é, foi ou será, e não pelo que pretende fazer.”

O Antagonista – 20.04.18 08:21 

Delação premiada e um avião sem dono

27 de agosto de 2014

Delação premiada e um avião sem dono

Paulo Roberto Costa trocou seu advogado pela defensora Beatriz Catta Preta – especializada em casos de delação premiada. Aguarda-se a qualquer momento, a confirmação da assinatura do acordo.

Entre 2005 e 2012, Paulo Roberto Costa substituiu José Sérgio Gabrielli, na presidência da Petrobras por 24 vezes. Costa é acusado de controlar um mega esquema de fraudes na estatal, com participação no superfaturamento das obras da refinaria Abreu e Lima, que já torrou R$ 42,2 bilhões sem sair ao papel, de cujos contratos o MPF afirma que teria saído o suborno lavado pelos esquemas do doleiro Alberto Youssef.

Porém, Paulo Roberto Costa pode estar acenando com a delação premiada para acuar os petistas. Porque dificilmente ele poderia ter feito o que é acusado sozinho. Nada na Petrobras se resolve sem a interferência superior. Dilma foi Ministra de Minas e Energia, presidindo o Conselho da Petrobras. É risível a hipótese de estar alheia ao que acontecia na estatal.

O doleiro Youssef também pode embarcar na onda de delação premiada. No caso Banestado, ele contou tudo que sabia. Agora, a história pode se repetir.

Alguém tem que perguntar para a Marina Silva

– E agora como é que fica?

A AF Andrade, ex arrendatária por leasing, do Jatinho Citation, está em recuperação judicial. Não poderia ter repassado o arrendamento mercantil. O seguro do avião, cujas importâncias seguradas contratadas são insuficientes para cobertura dos danos causados a terceiros, estava em nome do antigo dono. Foi apresentado um documento particular informando que a responsabilidade pelo leasing do Citation, teria sido repassado para João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho. Só isso já constitui motivo suficiente para qualquer seguradora – salvo melhor juízo – negar a cobertura dos danos causados pelo uso da aeronave para fim diverso do contratado, pois o seguro foi feito em nome da AF Andrade.

Como este embroglio estava CONTABILIZADO? Sim, porque segundo a severa lei eleitoral vigente, BENS ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO – emprestar um carro, uma casa para o comitê, UM AVIÃO -, tudo isto tem de estar lançado nas contas de campanha e ser informado ao TSE.

A burocracia para concorrer a cargo eletivo, desde o mensalão, é para ninguém botar defeito.

A responsabilidade é da candidata, então companheira de chapa, que, segundo consta, também fazia uso da aeronave e apenas por detalhe não estava à bordo no fatídico dia.

Então, como fica? QUEM VAI PAGAR AS CASAS DESTRUÍDAS? Só um dono de academia estima seus prejuízos em mais de um milhão e meio de reais. Fora os lucros cessantes, o aluguel que continua correndo, os contratos firmados com seus clientes usuários…

Já pensaram, você sai para trabalhar e na volta fica sabendo que um avião “SEM DONO” caiu em cima de sua casa ou seu negócio.

Como fica o caso daquela senhora de 100 anos em cadeira de rodas que apareceu na TV? E seus cuidadores? E a vida dos familiares?

Tantos candidatos fizerem programetes comoventes na TV, com imagens candentes em preto e branco, toda essa exploração piegas no horário eleitoral em cima do cadáver, não é chegada a hora de mostrar o estado das famílias vítimas?

Quem contratou e/ou pagava os pilotos? Qual a situação de suas viúvas? Como estão as famílias dos demais mortos na tragédia?

Como está registrado, na contabilidade da PRIMEIRA PARCIAL de campanha, cujo prazo de apresentação a Justiça Eleitoral era 31 de julho? Como foi lançado lá o uso do jato?

Quem emprestou/cedeu o jato, o fez por que? Quem é esse magnânimo gastador que cede um jato praticamente novo, avaliado em cerca de OITO MILHÕES DE DÓLARES e agora sumiu? Quem é esse personagem misterioso? Foi à troco de nada?

O valor da hora de vôo de um jato Citation, para quem não é do ramo, é inacreditável. Imaginam quanto custou a infinidade de viagens que aquele jato fez – conforme mostrado na TV – no zigue zague que o avião “costurou” Brasil afora, no período anterior ao do acidente?

O Brasil tem de ser informado.

http://www.eniomeneghetii.com

Simples assim: “Segundo informações em O Globo, Marina tem um novo comitê de campanha, com um novo CNPJ, como determina a lei eleitoral em caso de morte de um candidato. O avião usado por Campos era de responsabilidade do comitê de campanha do ex-governador de Pernambuco e que já foi extinto com a sua morte.
Ainda segundo O Globo, a versão do PSB para o assunto reforça uma tese de que o avião teria entrado em um caixa dois na campanha, ou seja, o gasto não foi declarado regularmente. O PSB reconhece que não haveria recibo registrado no TSE, como exige a lei.”

– See more at: http://www.sonhoseguro.com.br/2014/08/aeronave-seria-de-responsabilidade-do-comite-de-campanha-de-campos-marina-criou-outro-comite-ao-assumir-candidatura/#sthash.RLVcKrfg.dpuf

http://epoca.globo.com/tempo/eleicoes/noticia/2014/08/documentos-revelam-que-aviao-usado-por-bcampos-e-marinab-pertencia-busineiros-paulistasb.html

http://www.eniomeneghetti.com

Quem fatura com a tragédia, pagará a conta?

22 de agosto de 2014

Alguém tem que perguntar para a Marina Silva:

– E agora como é que fica?

O Código Brasileiro de Aviação determina que a responsabilidade por danos em caso de acidente é de quem tem a POSSE de aeronave.

– De quem é o avião?

A AF Andrade, ex arrendatária por leasing, está em recuperação judicial, nem poderia ter repassado o arrendamento mercantil. Que ao que consta tinha parcelas em atraso.

Foi apresentado um documento particular informando que a responsabilidade pelo leasing do Citation – jatinho que é o sonho de consumo de 9 entre 10 “emergentes”-, foi repassado para um tal de João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, em maio.

Como isto seria CONTABILIZADO NA CAMPANHA? Sim, porque BENS ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO – emprestar um carro, uma casa para o comitê, UM AVIÃO -, tudo isto tem de estar lançado nas contas de campanha e ser informado ao TRE. A burocracia, desde o mensalão, é para ninguém botar defeito.

Então, como fica? QUEM VAI PAGAR AS CASAS DESTRUÍDAS?

Já pensaram, você sai para trabalhar e na volta fica sabendo que um avião “SEM DONO” caiu em cima de sua casa ou entrou pela janela de seu apartamento.

Diga, Marina Silva, você que está capitalizando votos com a tragédia, vai deixar aquela senhora de 100 anos que apareceu na TV ao relento?

Em vez de tantos candidatos fazerem toda essa exploração piegas no horário eleitoral em cima de um cadáver, não chegou a hora de mostrar o estado das famílias vítimas?

Quem paga – ou pagava – os pilotos? Como estão as viúvas? As famílias desabrigadas? Como estão as famílias dos demais mortos na tragédia?

Como está, na contabilidade da PRIMEIRA PARCIAL de campanha, cujo prazo de apresentação ao TRE já passou? Como aparece lá o empréstimo do jato?

Quem emprestou/cedeu o jato, o fez por que? Quem é esse magnânimo gastador que cede um jato caríssimo, praticamente novo, a troco “de NADA” e agora some? Quem é esse personagem misterioso que joga dinheiro para cima?

Sabem o custo da hora de vôo de um jato Citation? Sabem qual o valor da infinidade de viagens que aquele jato fez – foi mostrado na TV, quando do levantamento do acidente – o zigue zague que o avião “costurou” Brasil afora, antes do acidente.

Cessna_Citation_X_Jet

Ninguém fala nisso. Gostaria de saber.

Pelo sim, pelo não, sugiro: #nãovotenabasealiada (nem em ex aliados, por favor)

http://oglobo.globo.com/brasil/uso-de-jato-que-matou-eduardo-campos-violava-lei-eleitoral-13689974#

http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2014/08/proprietario-do-aviao-usado-por-eduardo-campos-nao-foi-identificado.html

http://www.eniomeneghetti.com

Maravilhosa mulher brasileira

21 de agosto de 2014

Beijinho Dilma Marina

A mulher brasileira já mostrou ser capaz de mover montanhas.

Profissional competente, ela sabe zelar pela família, sabe que, bem educados, seus filhos terão suas chances no mundo. Uma lutadora, ela é capaz de influenciar todos à sua volta. A mulher é o personagem principal – e ela sabe disso. Quem ainda não sabe, que pesquise, estude, converse com a mulher média brasileira.

Costumo repetir que uma mulher inteligente, com suas qualidades, pode obter o que quiser.

Ela é otimista, bonita, gosta de si e soube ocupar seu espaço.

Só não entendo como e por que, dentre tantas mulheres maravilhosas dentro do padrão médio brasileiro, conseguimos somar nesta disputa eleitoral dois seres tão desprovidos das mais básicas qualidades que fazem da mulher média brasileira este ser tão encantador.

A gentileza, a classe, a educação da mulher brasileira.

Marina e Dilma

Ainda há poucos dias, em uma entrevista do Jornal Nacional pudemos assistir a uma aula de prepotência. Isso em personagem assistida por dispendiosa equipe de marketing e – ao que tudo indica – até mesmo municiada de “ponto eletrônico” no ouvido. Evidentemente mais do que orientada a conter seus ímpetos menos gentis.

memesbonnerdilma4

Marina Silva

Outra, recém alçada pelo destino à condição de postulante ao cargo máximo da República, já fornece sinais claros de possuir uma imensa dificuldade de relacionamento interpessoal, sem falar na intransigência e ideias atrasadas pelas quais luta com métodos impositivos que nada tem a ver com a mais básica arte do convencimento.

marina1

Já motivou fortes declarações pela forma como se deu o desenlace entre ela e a equipe de campanha de seu companheiro perdido no trágico acidente, entre outros sinais de desencontro entre suas idéias e a do grupo que comanda o partido que a abriga. Trovoadas no horizonte.

PSB aluga

Que Deus ajude o Brasil. O país vai precisar.

Dilma e Marina MST

charge dilma marina

Déjà vu *

20 de agosto de 2014

deja vu

Nos últimos dias me lembrei de Jânio Quadros. Jânio elegeu-se presidente em 1960 com a bandeira da ética e da moralização. Com um estilo dramático, pairando acima dos partidos, foi definido pelo historiador Thomas Skidmore como um ‘outsider’. Viu-se depois que era igual ou pior a tantos outros.

Conquistou grande maioria do eleitorado prometendo combater a corrupção e a bandalheira. Correu o Brasil em campanha com a musica: varre, varre, varre, varre vassourinha / varre, varre a bandalheira / que o povo já tá cansado / de sofrer dessa maneira / Jânio Quadros é a esperança desse povo abandonado!.

Varrer toda a sujeira da administração pública. Por isso o seu símbolo de campanha era a vassoura. Tomou posse em 31 de janeiro 1961. Proibiu o uso de biquínis e a briga de galos. Brigou com o Congresso, dizendo que com ele não conseguia governar. Pensava possuir um magnetismo pessoal maior do que de fato tinha. Colocando a culpa em “forças terríveis”, Jânio redigiu uma carta de renúncia em agosto. Pretendia voltar nos braços do povo com poderes excepcionais. A trama, cuidadosamente planejada, falhou e ele teve sua renúncia aceita pelo Congresso Nacional, apenas sete meses após tomar posse.

Quem não conhece seu passado não sabe para onde vai.

* Déjà vu é uma sensação que surge ocasionalmente, quando vivemos algo com a sensação de já ter feito ou visto antes, porém isso nunca ocorre. O déjà vu aparece como um “replay” de alguma cena, onde a pessoa sente já ter passado por aquele momento, mas realmente isso não ocorreu.

Sacudiu os meios políticos a pesquisa do Datafolha, feita em cima do momento trágico.

A candidata a vice de Eduardo Campos, Marina Silva deverá ocupar seu lugar na disputa presidencial. Reconhecida como alguém de temperamento complexo, apesar da aparência frágil, conseguiu em um primeiro momento capitalizar os votos brancos e indecisos daqueles que estão cansados de bandalheira.

Os números apresentados tem uma certa lógica. Marina Silva acrescentou aos 8% que Eduardo Campos já tinha outros 13 pontos oriundos de brancos nulos e indecisos o que a levou aos 21% apresentados. Já Dilma e Aécio mantiveram-se praticamente com os mesmos índices.

Não era eleitor do finado, mas me impressionei que tantas de suas qualidades fossem reconhecidas somente post mortem.

Em março Lula foi a um almoço com empresários no Paraná. No encontro, defendeu que Dilma mereceria mais quatro anos para manter as políticas de governo.

Revelou sua grande preocupação naquele momento: “que venha alguém desconhecido,muito jovem, que se apresente muito bem e se repita o que aconteceu em 1989”. Os presentes entenderam a frase como uma comparação entre Eduardo Campos e Fernando Collor de Mello. Saiu na Folha e está na internet, em http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1427517-a-empresarios-lula-compara-eduardo-campos-a-collor.shtml

Mesmo assim, Lula esteve presente no adeus a Eduardo Campos, domingo.

Chorou no velório.

Enio Meneghetti
http://www.eniomeneghetti.com

chorou no velório

Sem tít
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/03/1427517-a-empresarios-lula-compara-eduardo-campos-a-collor.shtml

© 2014 Microsoft Termos Privacidade e cookies Desenvolvedores Português (Brasil)