Delação premiada e um avião sem dono

Delação premiada e um avião sem dono

Paulo Roberto Costa trocou seu advogado pela defensora Beatriz Catta Preta – especializada em casos de delação premiada. Aguarda-se a qualquer momento, a confirmação da assinatura do acordo.

Entre 2005 e 2012, Paulo Roberto Costa substituiu José Sérgio Gabrielli, na presidência da Petrobras por 24 vezes. Costa é acusado de controlar um mega esquema de fraudes na estatal, com participação no superfaturamento das obras da refinaria Abreu e Lima, que já torrou R$ 42,2 bilhões sem sair ao papel, de cujos contratos o MPF afirma que teria saído o suborno lavado pelos esquemas do doleiro Alberto Youssef.

Porém, Paulo Roberto Costa pode estar acenando com a delação premiada para acuar os petistas. Porque dificilmente ele poderia ter feito o que é acusado sozinho. Nada na Petrobras se resolve sem a interferência superior. Dilma foi Ministra de Minas e Energia, presidindo o Conselho da Petrobras. É risível a hipótese de estar alheia ao que acontecia na estatal.

O doleiro Youssef também pode embarcar na onda de delação premiada. No caso Banestado, ele contou tudo que sabia. Agora, a história pode se repetir.

Alguém tem que perguntar para a Marina Silva

– E agora como é que fica?

A AF Andrade, ex arrendatária por leasing, do Jatinho Citation, está em recuperação judicial. Não poderia ter repassado o arrendamento mercantil. O seguro do avião, cujas importâncias seguradas contratadas são insuficientes para cobertura dos danos causados a terceiros, estava em nome do antigo dono. Foi apresentado um documento particular informando que a responsabilidade pelo leasing do Citation, teria sido repassado para João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho. Só isso já constitui motivo suficiente para qualquer seguradora – salvo melhor juízo – negar a cobertura dos danos causados pelo uso da aeronave para fim diverso do contratado, pois o seguro foi feito em nome da AF Andrade.

Como este embroglio estava CONTABILIZADO? Sim, porque segundo a severa lei eleitoral vigente, BENS ESTIMÁVEIS EM DINHEIRO – emprestar um carro, uma casa para o comitê, UM AVIÃO -, tudo isto tem de estar lançado nas contas de campanha e ser informado ao TSE.

A burocracia para concorrer a cargo eletivo, desde o mensalão, é para ninguém botar defeito.

A responsabilidade é da candidata, então companheira de chapa, que, segundo consta, também fazia uso da aeronave e apenas por detalhe não estava à bordo no fatídico dia.

Então, como fica? QUEM VAI PAGAR AS CASAS DESTRUÍDAS? Só um dono de academia estima seus prejuízos em mais de um milhão e meio de reais. Fora os lucros cessantes, o aluguel que continua correndo, os contratos firmados com seus clientes usuários…

Já pensaram, você sai para trabalhar e na volta fica sabendo que um avião “SEM DONO” caiu em cima de sua casa ou seu negócio.

Como fica o caso daquela senhora de 100 anos em cadeira de rodas que apareceu na TV? E seus cuidadores? E a vida dos familiares?

Tantos candidatos fizerem programetes comoventes na TV, com imagens candentes em preto e branco, toda essa exploração piegas no horário eleitoral em cima do cadáver, não é chegada a hora de mostrar o estado das famílias vítimas?

Quem contratou e/ou pagava os pilotos? Qual a situação de suas viúvas? Como estão as famílias dos demais mortos na tragédia?

Como está registrado, na contabilidade da PRIMEIRA PARCIAL de campanha, cujo prazo de apresentação a Justiça Eleitoral era 31 de julho? Como foi lançado lá o uso do jato?

Quem emprestou/cedeu o jato, o fez por que? Quem é esse magnânimo gastador que cede um jato praticamente novo, avaliado em cerca de OITO MILHÕES DE DÓLARES e agora sumiu? Quem é esse personagem misterioso? Foi à troco de nada?

O valor da hora de vôo de um jato Citation, para quem não é do ramo, é inacreditável. Imaginam quanto custou a infinidade de viagens que aquele jato fez – conforme mostrado na TV – no zigue zague que o avião “costurou” Brasil afora, no período anterior ao do acidente?

O Brasil tem de ser informado.

http://www.eniomeneghetii.com

Simples assim: “Segundo informações em O Globo, Marina tem um novo comitê de campanha, com um novo CNPJ, como determina a lei eleitoral em caso de morte de um candidato. O avião usado por Campos era de responsabilidade do comitê de campanha do ex-governador de Pernambuco e que já foi extinto com a sua morte.
Ainda segundo O Globo, a versão do PSB para o assunto reforça uma tese de que o avião teria entrado em um caixa dois na campanha, ou seja, o gasto não foi declarado regularmente. O PSB reconhece que não haveria recibo registrado no TSE, como exige a lei.”

– See more at: http://www.sonhoseguro.com.br/2014/08/aeronave-seria-de-responsabilidade-do-comite-de-campanha-de-campos-marina-criou-outro-comite-ao-assumir-candidatura/#sthash.RLVcKrfg.dpuf

http://epoca.globo.com/tempo/eleicoes/noticia/2014/08/documentos-revelam-que-aviao-usado-por-bcampos-e-marinab-pertencia-busineiros-paulistasb.html

http://www.eniomeneghetti.com

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: