Posts Tagged ‘demagogia’

COITADINHO

23 de agosto de 2017

 

Na última sexta-feira o juiz Sergio Moro rejeitou um pedido da defesa de Lula para adiar o depoimento marcado para o próximo dia 13 de setembro.

Moro havia oferecido a possibilidade de ouvir o ex presidente por vídeo conferência, para evitar os custos com segurança e o transtorno causado pela presença de Lula na capital paranaense, mas a defesa do réu recusou a oferta alegando que ele faz questão de depor diante do juiz.

 

Depois, seus defensores entraram com o pedido de adiamento. Para Moro, o pedido da defesa, de suspensão dos interrogatórios, “carece de qualquer base legal”. A defesa alegava precisar de mais tempo para analisar documentos anexados ao processo pelo MPF.

 

Neste processo Lula é acusado de receber 12 milhões de reais em propinas da Odebrecht, na forma de um terreno em São Paulo para ser a sede do Instituto Lula e do segundo apartamento, vizinho ao seu, no prédio em que mora, em São Bernardo.

A negativa do recurso da defesa de Lula é mais uma na coleção de recursos negados em várias instâncias legais.

Ainda na terça feira, dia 25 de julho, o Tribunal Regional Federal em Porto Alegre, que julgará os processos de Lula em segunda instância, manteve o bloqueio dos bens do réu Lula, já condenado por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Foram sequestrados por determinação do Juiz Sergio Moro cerca de R$ 10 milhões em planos de previdência, além de apartamentos e veículos.

Aí entrou em cena uma nova personagem. A milionária Roberta Luchsinger, neta do suíço Peter Paul Arnold Luchsinger, ao que consta grande acionista de um banco suiço, anunciou ao público uma doação de  R$500 mil, mais joias e objetos de valor a Lula. Para que ele possa suprir suas necessidades básicas ante a falta dos recursos sequestrados, alega a doadora.

Consta que Roberta pretende candidatar-se a deputada em 2018 pelo PCdoB. Resta saber se ela declarará a doação a Lula como publicidade da candidatura da milionária comunista.

Aparece cada uma …

Anúncios

Virá a gangrena?

20 de maio de 2015

virá a gangrena

Soa estranho ver os festejos pela vinda dos líderes do governo chinês dispostos a investir 50 bilhões de dólares em obras de infraestrutura e logística no Brasil, depois de termos esbanjado dinheiro via BNDES financiando as mesmas coisas em países aliados do governo petista.  Surreal!

Mas antes disso, líderes do governo saíram da reunião do último domingo falando abertamente em aumento de impostos federais por decreto.

 

Ajuste fiscal ou aumento de imposto? Claro que o governo não quer arcar com aumento imposto, porque pega mal. Mas como o Congresso não parece disposto a assumir o ônus pelo descalabro criado pelo governo, não restará outra saída para Dilma do que aumentar impostos e suportar mais críticas.

Para fazer previsões poderemos nos basear pelas mudanças na previdência social aprovadas na Câmara, que deverão passar no Senado. Dilma terá de vetar e corre o risco de ter seu veto derrubado. Quem viver, verá.  

Então, depois de terceirizar a Economia para seu ministro da Fazenda, Dilma faz os cortes e aponta os congressistas como culpados. Aposta no conflito, como se a culpa por ter torrado o dinheiro que havia no Brasil não fosse dela e de Lula.

 

Já ele, Lula, vive um momento delicadíssimo. Sabe que corre o risco de ter problemas judiciais e sua máquina age para acuar adversários e tentar impedir que seja alvo de denúncias. Mas posa de crítico do modelo dilmista, que é total responsabilidade (ou irresponsabilidade?) dele, para surgir como candidato em 2018.

 

Dilma arca com o desgaste e Lula fica descolado dela. Tudo ensaiadinho. Mas Lula não é mais o mito de tempos atrás. Ainda é rico, poderoso e esperto. Tem influência política. Tentar se livrar dando a entender que “no meu governo, era melhor”? Vamos ver se dará certo.  Acho que não cola mais.  

 

Analogicamente, o país é hoje um corpo tomado pela infecção.

Um exemplo é a educação. Além dos calotes nos estudantes reféns do Fies, no governo que tem como slogan a “Pátria Educadora”, as universidades públicas penam sem dinheiro para funcionar direito e os professores preparam uma greve por melhores salários, marcada para começar no dia 28.

Nas embaixadas brasileiras mundo afora, há contas atrasadas. Os pagamentos do governo às empreiteiras do  “minha casa minha vida” não está sendo feitos. A Petrobrás já admite que não terá dinheiro para arcar com sua parcela mínima de 30% nos contratos do pré sal. Carros encalhados nos pátios das montadoras. Mudanças nas regras dos financiamentos habitacionais afetam gravemente o mercado imobiliário, devendo ser sentidas na queda dos preços dos imóveis em seguida. Tudo isso traz mais desemprego, que alimenta a inadimplência, aumenta ainda mais a  recessão que já está aí. 

Para piorar tudo, inflação.

Não é preciso bola de cristal para adivinhar que a situação ruim irá piorar ainda mais.  

A infecção poderá virar gangrena.

Outubro. Aposto que será o mês em que bateremos no fundo do poço.  Vamos ver.

http://www.eniomeneghetti.com

inadimplência

 

“Quem fica brabo, fica burro”

6 de maio de 2015

Quem fica brabo, fica burro

É um velho dito da sabedoria popular. Uma pessoa enfurecida costuma reagir de forma intempestiva. No calor do momento, pode fazer ou dizer coisas que não lhe ajudem a resolver o problema que lhe causou a indignação.   

 

Foi impossível deixar de lembrar a mensagem contida na frase do título ao ler o conteúdo do discurso do ex presidente Lula proferido no dia do Trabalho.

 

Longe de mim sugerir o adjetivo  ao ex presidente Lula, até por que, de burro ele não tem nada.

 

Entre outras coisas, Lula disse em seu discurso: “Não tem um representante da elite brasileira que não tenha recebido favor do Estado. Conheci muitos meios de comunicação falidos e ajudei porque acho que tem que ajudar. Aí vem essas revistas brasileiras que são um lixo. Não valem nada. Peguem todos os jornalistas da Veja e da Época e enfiem um dentro do outro que não dá 10% da minha honestidade“. 

 

 

Talvez a reação fosse em relação a matéria da revista Época sobre uma investigação aberta pelo Núcleo de Combate à Corrupção da Procuradoria da República no Distrito Federal, por suspeita de tráfico de influência. Trata-se de um procedimento preliminar para examinar se Lula agiu em favor do grupo Odebrecht em financiamentos do BNDES para obras do grupo em países estrangeiros.

 

Como se sabe, os governos do PT e o BNDES insistem na tese que tais contratos com governos estrangeiros possam ser secretos, contrariando, segundo alguns juristas, vários princípios da administração pública, entre eles o da Publicidade. Ou a própria Constituição Brasileira, que em seu ARTIGO 49,  diz: … ” É de competência EXCLUSIVA do Congresso Nacional:  ÍTEM 1 – resolver definitivamente sobre TRATADOS, ACORDOS, ou ATOS INTERNACIONAIS que acarretem ENCARGOS ou COMPROMISSOS GRAVOSOS ao Patrimônio Nacional … (…)”

 

E aí em vez dele defender-se, ele diz que “ajudou meios de comunicação (sic) falidos”? 

Como assim?

Ajudou a quem? De que forma? Com dinheiro? Por qual razão? Qual critério? Em que consistiram tais favores?

Por que mencionar isto exatamente naquele momento?

Afinal, é o papel da imprensa noticiar fatos de extremo interesse público, como a abertura de um procedimento legal preliminar para investigar possíveis atos indevidos que possam ter sido praticados por um ex presidente. Isso é notícia.

Por que será que ele ficou tão brabo?

Vai saber!

http://www.eniomeneghetti.com

PROPAGANDA ENGANOSA

15 de abril de 2015

Propaganda Enganosa

É revoltante assistir pela televisão, desde a terça feira da semana passada, a um comercial absolutamente falso e mentiroso como o que o PT colocou no ar.

O ponto alto da mentira contida na peça publicitária em questão é a frase “colocamos mais gente importante na cadeia por corrupção do que nos outros governos”, que vem acompanhada com imagens de uma cela sendo fechada com cadeado.

O conteúdo é absolutamente enganador.  

Afinal, para início de conversa, a não ser em regimes totalitários, não cabe a governo que se preze “colocar” alguém na cadeia.

Quem denuncia e/ou pede a prisão é o Ministério Público. Quem aceita a denúncia ou não, quem manda prender ou não, é a Justiça, dentro do devido processo legal. 

Só nas piores ditaduras é que governos “prendem”.

Aliás, em governos decentes, vige a separação entre os poderes. O governo, Poder Executivo,  não se mete no Poder Judiciário, não dá palpites, não tenta interferir em institutos legais como delação premiada ou acordos de leniência, que conforme as autoridades ligadas ao executivo deixam claro, visam salvar empresas investigadas por irregularidades junto ao próprio governo, do risco da falência.  

Governos sérios e transparentes também não nomeiam para sua mais alta corte, um ex advogado de seu partido político, que ainda por cima, não se dá por impedido de julgar processos nos quais interesses de seu já mencionado partido político serão julgados. Isto é o fim!

Parece que o sonho do PT, visível por várias atitudes, seria poder livrar-se de desafetos ou opositores de forma tão efetiva como “mandar prender”.

Em falas raivosas recentes, Lula, por exemplo, deixou a impressão que, se pudessem, realmente gostariam de mandar quem diz o que eles não gostam de ouvir, para a cadeia.

Lula já falou em discurso proferido em Santa Catarina, na campanha eleitoral de 2010, até em “exterminar” um partido cujo pecado era o de cumprir seu papel e fazer-lhe oposição. 

  

No caso do atual comercial, é muita cara de pau passar ao largo do fato  que as principais “pessoas importantes” que estão ou forma para a cadeia foram grandes líderes do PT, como José Genuíno, José Dirceu, Delúbio Soares, João Paulo Cunha, etc. Sem falar nos que já estão e muitos outros que muito em breve irão também, no rastro do Petrolão e da Operação Lava Jato. 

É revoltante que no mundo civilizado um comercial mentiroso como esse seja levado ao ar, com toda a falsidade que contém, e não produza o efeito contrário daquele desejado por quem o colocou no ar. 

Coisas de nosso Brasil. 

Até quando?  

 

www.eniomeneghetti.com

O maior inimigo do Brasil: Foro de São Paulo

31 de março de 2015

Rodrigo Constantino

“O deputado Onyx Lorenzoni, sempre combativo e alerta às ameaças bolivarianas, acaba de publicar um ótimo vídeo que resume bem aquele que é o maior inimigo do Brasil: o Foro de São Paulo. Trata-se de uma união ideológica e partidária de grupos radicais de esquerda da América Latina, incluindo ditaduras e guerrilheiros, que tem responsabilidade direta pela guinada do continente à esquerda autoritária, colocando os interesses nacionais abaixo desta ideologia nefasta.” Vejam:

Rodrigo Constantino – Veja on line

Reação demagógica e intelectualmente desonesta de Miguel Rosseto

29 de março de 2015

Ao tentar falar no Congresso da UNE, Ministro Miguel Rosseto recebeu uma estrepitosa vaia.

Assista:

 

A reação dele foi berrar repetidamente aos estudantes da UNE:

“Vocês estão fazendo o discurso da direita!”  

Para um bom demagogo, a reação a uma manifestação que não lhe interessa ouvir, é classificá-la de “discurso da direita”.

Ministro, este blog tem um perfil de centro direita e lhe afirmamos que o discurso da UNE não é de direita.

Ministro, sua reação é PRECONCEITUOSA e intelectualmente DESONESTA.

Classificar de “discurso da direita” a tudo o que lhe desagrada é reação de criança mimada que não está acostumada a ser contrariada.

Aliás, a UNE fazendo “discurso da direita”?

Vossa Excelência pirou?

Logo a UNE, hoje apêndice do PSOL e PSTU, ser classificada de professar o discurso “da direita” só porque lhe desagradou?

Tenha a santa paciência!

Esses jovens estavam apenas protestando contra seu partido e o governo atolado na corrupção que o senhor representa.

Se não tem estomago para suportar contrariedades, ministro, peça demissão e vá para casa.

Aliás, com o papelão que seu partido, o PT, tem feito no governo deste pobre Brasil, seria a única atitude decente a tomar.

Vá para casa, Rosseto.

http://www.eniomeneghetti.com

A postura que arrasa o Brasil

21 de março de 2015

Em apenas 2:30 segundos este vídeo diz mais que dezenas de artigos e análises sobre os problemas que estamos atravessando.

Merece ser divulgado ao mundo.

Demagogia explícita

11 de março de 2015

Demagogia explícita

 

Em seu patético discurso no domingo à noite, Dilma Roussef tentou passar uma versão absolutamente falsa da realidade. Para ela, tudo o que acontece agora é apenas temporário, com recuperação já “- no final do segundo semestre”. 

 

A reação do governo às manifestações populares ocorridas durante a fala presidencial seguiu a mesma linha de falsidade. Cometer o ridículo de acusar de serem “financiadas pela oposição” as manifestações espontâneas de vaias e panelaços nas janelas e varandas de várias cidades brasileiras, eleva o nível de descaramento a níveis preocupantes. A destrambelhada reação governista só serviu mesmo para ampliar a promoção do mega evento de protesto programado para o domingo, dia 15 de março.

Dilma abusou da demagogia, prometendo novos rumos dizendo nada e coisa nenhuma de concreto. O momento crítico, que já havia sido previsto muitas vezes e há bastante tempo, de forma recorrente, continua sendo negado pela governanta.

 

A tempestade chegou e está aí, com o agravante de uma crise institucional com denúncias perigosamente próximas de Dilma e Lula.

 

Com o governo desmoralizado e uma lista de membros da Base Aliada no Legislativo a serem investigados pelo STF, o povo protesta contra o desgoverno que se apossou do Brasil.

Dilma jamais terá a humildade de reconhecer seus erros. O povo está farto e o governo sabe disso. As pesquisas de opinião recebidas pelo Planalto já apontam os recordes de insatisfação popular.  

Na fala presidencial, não faltaram, como sempre, ataques à imprensa – “noticiários confundem mais do que esclarecem”.

Ela negou a crise econômica – “nem de longe estamos vivendo a crise que dizem alguns”.

Fez de conta que não existiram os cortes em direitos trabalhistas e aumento de impostos  – “de maneira justa e suportável para todos”.

Tudo isso para dizer que a conta do descalabro que criou agora é nossa, do contribuinte, da dona de casa e do trabalhador.

– Sobre a lista do Petrolão e da investigação contra a sua campanha? Nada. 

– Sobre o colapso energético e a iminência de pagão? Nada.

– Sobre a inflação fora de controle? Nada.

– Sobre queda de consumo e desemprego? Nada.

– Sobre ameaça óbvia de recessão? Nada.

– Sobre a destruição da Petrobras (e sabe-se lá do que mais) para adquirir maioria no Congresso Nacional e financiar campanhas eleitorais da Base Aliada? Nada.

– Sobre os empréstimos sigilosos e inconstitucionais, feitos pelo governo brasileiro a Cuba, Angola e demais países, via BNDES, numa caixa preta que quando for aberta revelará um escândalo muito maior que Mensalão, Petrolão, Eletrolão?Nada.

– Sobre a tentativa de barrar novas delações premiadas via TCU e/ou seu Ministro da Justiça, como as de Ricardo Pessoa – líder do cartel de empreiteiras ou do presidente da Camargo Correa, Dalton Aavancini, que pretende mostrar que a empreiteira pagou R$ 900 mil ao ex ministro José Dirceu, em abril de 2010, à título de “consultoria” e revelar a propina pagas como pedágio para entrar nas obras da Usina Hidroelétrica de Belo Monte?* Nada.   *VEJA – 11.03.2015- pg 57

Nem parecia aquela Dilma que teve que aprovar a “Lei do Calote”, em dezembro de 2014, obra prima da contabilidade criativa, que criou o “superávit negativo”, para evitar que ela fosse punida por crime de responsabilidade, por ter gasto mais do que permitido.

E ainda teve gente que disse que as vaias de protesto eram em “varandas gourmet” com panelas Tramontina…

 

Dilma não teve dó nem piedade do mundo real: “- Com coragem e até sofrimento, o Brasil tem aprendido a praticar a justiça social em favor dos mais pobres, como também aplicar duramente a mão da justiça contra os corruptos. É isso, por exemplo, que vem acontecendo na apuração ampla, livre e rigorosa nos episódios lamentáveis contra a Petrobras. – mais uma vez apelando para a insinuação mentirosa de que seria o governo a determinar a ação da Justiça contra a corrupção em seu governo.

Por isso, tanta panelada, buzinada, vaia e xingamento.

www.eniomeneghetti.com