Posts Tagged ‘Itaquerão’

SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER

21 de outubro de 2015

Z

Este artigo foi publicado na quarta feira, 21 de outubro.

Hoje, 24/10 a Folha publica a matéria cujo link segue abaixo.

Por que será que agora ninguém mais quer ouvi-lo? Leia o artigo “Só não vê quem não quer” e saberá.

Lava Jato freia contratação de Lula para dar palestras

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1697967-lava-jato-freia-contratacao-de-lula-para-dar-palestras.shtml?cmpid=newsfolha

SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER

Lula deixou a presidência da República e passou a fazer palestras.

Isso era noticiado e perguntava a mim mesmo: Como funciona esse negocio? Por que vêm esses convites? Qual a razão, o interesse de uma empresa privada em pagar tanto dinheiro para ouvi-lo? Afinal, sem ofensa, mas qualquer pessoa do mundo corporativo ou com um mínimo de cultura, sabe que embora seja esperto e um mestre na comunicação, o discurso de Lula é absolutamente raso.

Hoje sabemos, as palestras dele encomendadas pela Odebrecht, viajando mundo afora em aviões fretados pela empresa, geraram obras fantásticas nos países visitados. O BNDES bancando a farra.

Aqui no Brasil Lula também fez das suas. E como! Antes de recordarmos as estrepolias na Petrobras, podemos lembrar a história mal contada da construção do estádio do Corinthians, o famigerado Itaquerão. Exemplo claro da orgia que se fez com o dinheiro dos brasileiros.

Aliás, como torcedor do Internacional sempre estranhei aquela intervenção de Dilma para solução do impasse entre Inter e Andrade Gutierrez. Dilma mandou e a Andrade Gutierrez obedeceu e fez a reforma de nosso Beira Rio. Lembro bem da descrição fantástica do diálogo da “madrinha” como os veículos mais aduladores a classificaram.

“É meu clube, é meu Estado. Não há hipótese nenhuma de a empresa sair e deixar todo mundo na mão.”

Ora, será que não conhecem a máxima de Milton Friedman, que ensina que “não existe almoço grátis”?

Impressiona o fato de que as pessoas esqueçam fatos como esses e se surpreendam quando após anos de esbanjamento em parcerias para lá de esquisitas, como nas obras da Petrobras e tantas outras, Lula, Dilma e seu partido tenham levado o Brasil à breca.

Em meio à mais terrível crise que já vivemos – e vai piorar! – a opinião pública se pergunta: como isso aconteceu?

Enquanto o mundo enfrentava com galhardia e responsabilidade a crise de 2008, o “mago” Lula dizia: gastem, comprem, torrem, endividem-se. É só uma marolinha!

Pois agora é que vamos recém começar a ver o tamanho do tsunami causado por esses aventureiros. O esquemão econômico que tomou conta do Estado brasileiro ainda permanece no Palácio do Planalto. E Lula está sendo investigado pelo Ministério Público por tráfico de influência internacional.

Seus problemas legais crescerão proporcionalmente ao agravamento da crise que recém inicia.

Enio Meneghetti

Charge-do-Alpino-Lula-depoe-na-PF

 

Anúncios

O cerco se fecha

25 de junho de 2015

 

o cerco se fecha

As prisões de Marcelo Odebrecht, da poderosa empreiteira que leva o nome da família e de Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez, são motivos para tirar o sono de algumas cabeças coroadas.

O telefonema feito por Marcelo Odebrecht antes de ser levado pelos policiais, onde proferiu uma frase reveladora a um interlocutor com acesso a Lula e Dilma, provoca arrepios: “É pra resolver essa lambança ou não haverá República na segunda-feira”… Assim, em tom de ordem: “É pra resolver…”. Quem pode, pode. Será?

Lula bem gostaria de “resolver” ou que Dilma o fizesse. No entanto, já anda até dizendo que sabe ser “o próximo alvo” do juiz Sérgio Moro. Também tem reclamado da demora do governo de sua eleita em agir. O que será ele desejaria que Dilma fizesse? Destituísse o juiz? Interviesse no Judiciário? É preocupante quando o ex-presidente de um país que se diz democrático da indícios de um viés tão prepotente. Ainda não somos uma Venezuela, certo?

O grande temor dos que devem é que uma temporada na cadeia quebre a firmeza de Marcelo Odebrecht.

Disse o juiz Sérgio Fernando Moro, da 13a Vara Federal, na justificativa das prisões preventivas da 14.a. fase da Lava Jato:“Pelas provas até o momento colhidas, a Odebrecht pagaria propina de maneira geral de forma mais sofisticada do que as demais empreiteiras, especialmente mediante depósitos em contas secretas no exterior”. Mais: “Não só há prova oral da existência do cartel e da fixação prévia das licitações entre as empreiteiras, com a participação da Odebrecht e da Andrade Gutierrez, mas igualmente prova documental consistente nessas tabelas, regulamentos e mensagens eletrônicas”.

Portanto, salvo se o governo extrapolar seus poderes, a temporada na cadeia, a exemplo de outros presos, deverá ser longa. Causando temor de que essa realidade leve ao desespero aqueles que ainda mantém-se calados.

O vazamento dos detalhes das viagens e palestras bancadas pela Odebrecht justamente na semana anterior a “Erga Omnis”ajudam a reforçar a tese de que Lula pode ter problemas.

Lula teria ido a evento da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) sobre o clima, encontrou-se com o presidente da República Dominicana, foi a um congresso nos EUA. Junto, foi o diretor de Relações Internacionais da Odebrecht, Alexandrino Alencar. Usaram um jatinho da Líder Táxi Aéreo, que classificou a viagem como “voo sigiloso”. 

Alexandrino Alencar foi também o interlocutor de Lula para viabilizar a construção do Itaquerão, obra mal explicada do estádio do Corinthians.

O mesmo diretor da Odebrecht já havia acompanhado Lula à África, em 2011. Lá a empreiteira tem parcerias em Angola e obras em Moçambique.

A Odebrecht informou via O Globo, em 12 de abril, que Alexandrino teria ido somente no trecho República Dominicana e Cuba. Como se sabe, foi a Odebrecht que fez a famigerada obra do Porto de Mariel.

Assim, torna-se cada dia mais improvável que “não tenha ninguém com coragem para mandar prendê-lo, porque as consequências políticas serão imprevisíveis”.

Lula sempre reage exageradamente a críticas, insultos, ameaças ou frustrações. Mas a indignação dura pouco e volta a agir como se nada tivesse acontecido.

Puro teatro. Ele não assusta mais.

Enio Meneghetti

https://skypewebexperience.live.com/content/3-14-1805/telemetry-iframe-outlook.html?sts=1435190802733&sessionid=3d0e1b5b-f7e9-447b-e101-16606541134e&hostproperty=outlook&origin=https%3A%2F%2Fblu176.mail.live.com&dynamicConfig=%7B%22Data%22%3A%7B%22visitorSampling%22%3A0.001%7D%7Dhttps://skypewebexperience.live.com/content/3-14-1805/swe-iframe.html?sts=1435190802740&sessionid=3d0e1b5b-f7e9-447b-e101-16606541134e&hostproperty=outlook&origin=blu176.mail.live.com

Pobre Petrobrás

25 de junho de 2014

Pobre Petrobrás

De orgulho nacional desde que foi criada há 60 anos, a Petrobrás vem sendo manchete de escândalos nos últimos meses.

Loteada por concessões partidárias à base aliada do atual governo, chega-se ao cúmulo de assistir no intervalo do principal telejornal do país seu caprichado comercial, seguido pela notícia do escândalo do dia: a prisão de um ex diretor. O alvo da Operação Lava Jato, o ex-diretor de abastecimento, Paulo Roberto Costa.

Atualmente na cadeia, preso preventivamente, ele foi também presidente do Conselho de Administração da refinaria Abreu Lima, quando ela era uma empresa independente da Petrobras.

Integrada oficialmente ao comando da estatal em dezembro, em decisão da assembleia geral contestada por acionistas minoritários, a RNEST- Refinaria do Nordeste, ou Refinaria Abreu e Lima, está sendo construída em Ipojuca, Pernambuco. Será a primeira refinaria de petróleo inteiramente construída com tecnologia nacional.

Mas a que preço!

Infelizmente, os mal explicados gastos, absurdamente acima do cronograma, formam uma parte do escândalo que hoje ocupa manchetes e é investigado por CPIs no Congresso e por ações na Justiça Federal, envolvendo o Tribunal de Contas da União, o Ministério Público Federal, a Polícia Federal, a Receita Federal e até o Conselho de Atividades Financeiras (o COAF).

Com 86 mil funcionários e presença em 25 países, a Petrobrás era o grande orgulho nacional desde a sua fundação. Chegou a estar em 12.º lugar entre as maiores empresas do mundo, à frente de gigantes como GE, Shell, Sony, Nestlé e outras, segundo ranking da revista Forbes.

Chega a ser irônico lembrar que há não muito tempo, estados brigavam pelos royalties do pré sal, desconhecendo o que havia debaixo do tapete e deixando de lado o fato de que especialistas avisavam que é um petróleo de quase impossível extração. Para alcançá-lo é necessário penetrar em 7 quilômetros de rocha salgada, e os políticos desavisados brigavam pelo ovo dourado antes da galinha pensar em colocá-lo.

Pois independentemente disto, a Petrobrás despencou no ranking, ocupando hoje a sombra de um 120.º lugar. E o lucro sumiu.

Não é tão difícil de entender o que houve. Da era Lula para cá, a apropriação de recursos da empresa com fins políticos é uma realidade que salta aos olhos. A Petrobrás foi impiedosamente saqueada nos últimos tempos.

Os escândalos vieram à tona graças à gula desenfreada dos incapazes colocados à frente da direção da mesma. Pagaram US$ 1,3 bilhão por uma sucata de refinaria em Pasadena, no Texas, 40 vezes seu valor real. Sendo este apenas um dos graves exemplos de malversação de dinheiro.

Longe do fim, o problema Petrobrás poderá trazer para Dilma Rousseff situação ainda mais desagradável.

Os investidores internacionais da Petrobras deverão questionar judicialmente, com a tese de que ela, como presidente do conselho de administração da empresa no governo Lula, teve responsabilidade nas decisões de aquisições lesivas à empresa. Desde a refinaria de Pasadena, nos EUA, como nos contratos de um dos piores negócios da empresa, a refinaria Abreu e Lima.

A empreitada começou custando US$ 2,3 bilhões e, ainda longe do fim, pode chegar a inacreditáveis US$ 20,1 bilhões, até o final do ano.

Como alguém poderia errar tanto assim inadvertidamente? Será coincidência ter acontecido coisa muito semelhante com os estádios, como o Itaquerão? Que sina curiosa!

o-TIRINHA-AMORIM-570

Enio Meneghetti

http://www.eniomeneghetti.com