Posts Tagged ‘democracia’

É A DEMOCRACIA, ESTÚPIDO!

19 de junho de 2018

thumbnail_20180619_104145

 

Na disputa eleitoral de 1992 nos Estados Unidos, o caminho para a vitória de Bill Clinton sobre George Bush foi resumido por James Carville, que cunhou a frase – “É a economia, estúpido!”,  referindo-se a recessão existente, apesar dos louros pela vitória na Guerra do Golfo obtida por Bush.

 

A frase virou “case” de marketing eleitoral nos Estados Unidos e, com a pequena variação observada no título deste artigo, poderia ensinar alguma coisa a certos grupos que insistem em negar a realidade de hoje, no Brasil.

 

Refiro-me a ditadura das minorias barulhentas. Um bom exemplo é a síndrome do “politicamente correto”. Essa mania de tentar dizer a todos o que devem pensar, a imposição do que é certo ou errado, na visão autoritária dos radicais de sempre.

Assim, seria bom que examinassem com lupa os resultados de uma pesquisa encomendada pela Record TV e pelo R7 ao instituto Real Time Big Data, que desenhou o perfil desejado pelo eleitor para o próximo Presidente da República.

 

Entre os dados apurados, 85% dos entrevistados não querem que o presidente esteja sendo investigado por corrupção. Parece meio óbvio, não? Mas não é só isso.

 

Os temas mais importantes, na avaliação dos eleitores, são o combate à corrupção, com 21%, economia e geração de empregos, com 20%. Saúde, 18%, segurança pública, 17%, Educação, 13%, desenvolvimento social com 11%.  Destaque-se o empate técnico entre os quatro primeiros itens.

 

Com as devidas variações regionais, a média aponta também que 75% dos  eleitores desejam ver eleito um candidato de cor branca. Do sexo masculino, preferem 65%. Que acredite em Deus, para esmagadores 89%. Logo, não surpreende que 70% queiram um presidente que seja contra o aborto. Assim como 64% são contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Deu para começar a interpretar os anseios da população ou vão continuar tentando impor às pessoas o que devem pensar e querer?

Amplos 92% querem a diminuição da maioridade penal para os 16 anos. 74% são contrários à liberalização da maconha.

Ao contrário do que se poderia imaginar, experiência política é considerada como imprescindível para 80% dos entrevistados.

Fica absolutamente claro o divórcio entre o que esperam os eleitores em relação ao que a mídia apregoa no dia a dia.

A pesquisa,  que está disponível no site da emissora que a encomendou, revela uma tendência claramente conservadora por parte do eleitorado. Mas não apenas isso.

 

Chama atenção que a maioria silenciosa pensa de forma muito diferente do que certos grupos induzem a pensar. Estes buscam impor suas preferências, mesmo que, se necessário, tenham de trapacear as regras do jogo, se farejarem que algo possa sair de forma contrária a seus interesses.

 

Recentemente tivemos um exemplo claro deste tipo de atitude, aqui mesmo no Rio Grande do Sul.

 

Depois de incluírem na Constituição Estadual a exigência de plebiscito para privatizar empresas estatais, imaginando que jamais a população votaria favoravelmente à venda dessas empresas, ao sentirem que havia o perigo do povo decidir contra o que desejavam, tiraram do eleitor a possibilidade de escolher. Vergonhosamente tiraram do povo a faculdade de decidir o que quer, imposta por eles mesmos, como forma de impedir decisões de governo.

 

Estes são os agentes públicos que costumam tachar de “golpistas”, “fascistas,” a qualquer um que se atreva a pensar de forma diferente da deles.

 

Para o desespero desse tipo de personagem, só faltou desenhar o rosto de quem a maioria da população deseja ver eleito.

Anúncios

A passeata dos 100 mil em Porto Alegre

15 de março de 2015

Nunca aconteceu algo semelhante em Porto Alegre.

Nem nas “Diretas Já”, nem nas eleições de qualquer presidente, partido político ou mesmo vitórias da Seleção brasileira.

Não se viu uma só bandeira de partido.

Não havia militância paga.

Não houve distribuição de sanduíches nem “ajuda de custo”.

Não houve verba pública financiando o mega evento!

Milhares de pessoas abriram mão de seus domingos de descanso para um grito de B A S T A contra “tudo isso que aí está”.

Os gritos de Fora Dilma e Fora PT extravazavam o que está trancado na garganta das pessoas decentes, frente a roubalheira que assola este país.

Mesmo com a tentativa prévia de alguns, por simples medo ou por safadeza mesmo, de provocar temor em quem gostaria de ter comparecido, ora dizendo que haveriam petralhas infiltrados, que os “temidos” “black blocks” fariam quebra quebra para descaracterizar o movimento. Que nada!

E se tivessem aparecido intimidariam-se frente aquela massa humana,  pacífica, mas pronta a denunciar em altos brados qualquer baderneiro que ousasse infiltrar-se em meio a uma das mais marcantes manifestações nunca antes ocorrida na História de Porto Alegre. Sem um único incidente!

Não nos iludamos. O governo tentará descaracterizar o movimento com aqueles seus métodos tacanhos de repetir mentiras mil vezes.

Mas uma coisa é certa: quebrado o mito, na próxima manifestação serão muitos mais querendo participar de uma festa da liberdade e da verdadeira democracia.

Em São Paulo, a Polícia Militar estimou em 1 milhão o número de pessoas Avenida Paulista.

– Chegaremos lá!

1503protesto_bin.02

Dilma governo da mentira

http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2015/03/manifestantes-contra-o-governo-se-reunem-em-parque-de-porto-alegre.html

http://www.eniomeneghetti.com