Made in Brazil

Tenho um amigo que é o feliz proprietário de um carro sueco Volvo. Marca excelente, considerado o carro mais seguro do mundo.
Mas como todo o automóvel, eventualmente apresenta algum problema. Neste caso foi uma pequena irregularidade no funcionamento do motor. Como o proprietário é engenheiro e gosta do assunto, dedicou-se a pesquisar pessoalmente o que estava ocorrendo. Contatou-se que um dos bicos injetores dos cinco cilindros estava enviando uma quantidade maior de combustível que os demais, o que ocasionava o funcionamento irregular. Bastaria portanto, substituir o bico avariado. Uma peça do tamanho de um isqueiro BIC. Melhor seria a substituição dos cinco bicos. Segundo cotação realizada na Volvo do Brasil, os bicos, no mercado brasileiro, custavam aproximadamente R$ 700/cada – ou seja, R$ 3.500,00 os cinco. 

Para tirar a dúvida, nosso amigo resolveu consultar o site internacional de compras E-Bay. E lá encontrou os cinco bicos por apenas US$ 260, mais US$ 34 de frete. Uma diferença absurda,  favor do consumidor, onde pagando um, ele levaria os cinco bicos…

NOTA E-BAY
Até aqui, nenhuma novidade. Todo o mundo sabe a taxação estratosférica que qualquer produto “importado” para o Brasil paga.
A surpresa veio 15 dias depois, quando o produto chegou. Veja a foto. O produto tinha na embalagem a inscrição MADE IN BRAZIL. Fabricado pela BOSCH brasileira.
Foto0213

É aquela política terrível de, como brasileiros, não termos acesso a certos produtos. São apenas “for export”. Ridícula intervenção do Estado na Economia.

Num momento em que o país é sacudido de Norte a Sul com o grito de “NÃO AGUENTO MAIS!” , trago mais este ingrediente a pauta de cretinices a que os brasileiros são submetidos diariamente.
Em plena era da globalização somos uma ilha de explorados economicamente como se tivéssemos os portos (ou os olhos) fechados a produtos das “nações amigas”, como se dizia muito antigamente. E o pior, é que o produto é fabricado aqui, mas não está à disposição dos nativos, nós. Isso é coisa de governos de países TOTALITÁRIOS.

Esta é mais uma entre as várias formas pelas quais somos roubados pelo governo. Uma vergonha.

www.eniomeneghetti.com

Anúncios

Tags: , , , , , , ,

13 Respostas to “Made in Brazil”

  1. roberto osvaldo luce Says:

    Algumas velas BOSCh ão feitas na BAHIA e so são encontradas no exteriorlucecar.roberto@gmail.com

  2. Paulo Fernando Torelly Cruz Says:

    Caro Enio,
    Este artigo está fantástico. Gostaria muito de republica-lo em meu site, dando os devidos créditos é claro. Meu site é versa exclusivamente sobre assuntos relacionados a automóveis. Além de enriquece-lo a publicação serviria para divulgar este tema que precisa ser “espraiado” para que o maior número de pessoas tome conhecimento dele. Aguardo ansiosamente uma resposta. Se não quiser dá-la por aqui faça-o para meu e-mail
    Grande abraço
    Paulo Fernando Torelly Cruz

  3. Daltro Souza D'Arisbo Says:

    Caro Enio .

    Construí, durante 26 anos, uma coleção que conta hoje com 188 rádios valvulados, perfazendo um intervalo histórico de 1922 a 1960.
    Para organizá-los num Museu, adquiri um apartamento no Bairro Menino Deus, onde estão catalogados e expostos a visitação gratuita.
    Nada vendo. Foram e continuam sendo anos de gastos e conquistas no intuito único de preservar a história do rádio antigo.

    Um detalhe único: absolutamente todos os rádios que entram em exposição funcionam perfeitamente conforme os esquemas originais.
    Para tanto restaurei e restauro cada um deles, tendo, por vezes, que importar válvulas.

    Há poucos dias, trabalhando num receptor Weconomy , fabricado por Westing Electrical na Inglaterra em 1924, precisei comprar duas válvulas 215A . Para tanto, fiz a aquisição através do Howard Stone, antigo radiófilo e amigo estadunidense. As válvulas são peças raríssimas, posto terem sido fabricadas logo após o início da fabricação comercial das primeiras válvulas , no torno de 1919. O preço total, incluído os custos com o envio, foi de US$ 133.65 o que equivale aproximadamente a 307 reais.

    Qual foi a minha estupefação ao receber o aviso dos Correios: deveria pagar impostos, no montante de 177 reais a título de “Imposto de Importação” acrescidos de 97 reais sob a pecha de “ICMS”…

    Mesmo elidindo o fato de que realizo um trabalho sem fins lucrativos – com enormes gastos – para preservar e resgatar a saga dos primeiros receptores nacionais e estrangeiros que aqui chegaram, estas válvulas 215A não são fabricadas há 80 anos, constituindo equipamentos absolutamente inexistentes no País e quase extintas no mundo.

    Paguei e refleti.
    Talvez seja a contraprestação que uma sociedade e legislação hipócritas dão a tantos que desejam fazer um trabalho sério no Brasil

    Daltro D’Arisbo
    http://www.museudoradio.com

    Porto Alegre

    • Sergio Bestetti Says:

      É realmente uma vergonha. A única cultura que o governo fornece é ensinar crianças pobres a tocar berimbau e bater em bumbos. E quando alguém tenta fazer um trabalho cultural admirável como o seu, além de não apoiar ainda atrapalha. Lamentável. Mas parabéns pela sua iniciativa e seu trabalho. Realmente admirável. Quando tiver a oportunidade de visitar Porto Alegre gostaria muito de conhecer sua coleção. Não entendo muito de rádios, mas aprecio muito o cuidado e restauro de objetos antigos e clássicos. Você mantém uma parte fundamental da história de toda nossa tecnologia viva!

    • blablabinga Says:

      da próxima vez, peça para o seu amigo lhe enviar o correio com uma carta “Happy birthday my friend! I wish you well and blah blah, here follows your gift”

      Por se tartar de presente diminui a chance de taxação.

  4. Alekxander Says:

    Caro Enio, seu artigo é bem interessante mas a conclusão é equivocada….não há restrições para um produto ser direcionado para o mercado interno no Brasil. O que existe são incentivos á exportação. Essa peça, se fosse direcionada ao mercado interno, provavelmente teria preço bem próximo ou menor do que o do e-bay. A taxação em nosso país realmente é alta mas o maior motivo de pagarmos preços tão altos por tantas coisas considerada supérfluas é a ganância dos empresários tupiniquins. Vender carros novos no Brasil gera lucros estratosféricos e não vai ser a Volvo que vai quebrar esse monopólio, sob pena se ser “expurgada” do mercado.
    Abs,
    Alekxander

  5. Norton Santoro Says:

    Este fato me faz lembrar que há algum tempo atrás, a Argentina importava madeira do Brasil e manufaturava a mesma e nos vendia maçãs em caixas de madeira brasileira, é claro que cobrando o produto.

  6. Marcelo Meireles Says:

    Um filme novo que “trata” desse assunto de forma maestral. Assistam! Os links pra baixar estão lá!

  7. clecio Says:

    Nosso governo não se difere em nada da yakusa ou ou máfia italiana, é uma quadrilha envolvendo até muitos empresários! Sabe quando isso acaba?? Numca!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: