“NÓIS NÃO VAI!” – NÓIS JÁ FOI!

 

                     Não é pelo fato de falar errado que Joesley Batista é um desclassificado. É pelo que ele pensa que é.

                     Na “conversa de bêbado” que mantém com Ricardo Saud, Joesley chega ao ponto de sustentar, repetidas vezes, possuir até dons de adivinhação. Além de desonesto, o chato de galochas alega ser vidente. Mas o charlatão errou feio ao afirmar para Ricardo Saud, por diversas vezes na gravação,  que “nóis não vai ser preso”.

                     Megalomaníaco, trapaceiro, falastrão, arrogante, egocêntrico, o que se ouve nas quatro horas de auto grampo em que o pateta incrimina-se é de revoltar o estômago. Inclusive, é necessária atenção adicional do ouvinte, já que o boquirroto comunica-se muito mal.

                     É surpreendente que uma pessoa tão desagradável tenha desenvolvido amizades em tão elevados circuitos. Refletindo sobre isso, deduz-se que o governo Lula/Dilma necessitava de alguém com aparente capacidade de endividamento para servir-se de capitais via BNDES e daí gerar propina. A partir das gordas verbas emprestadas a juros subsidiados pelo BNDES, seu grupo passou a comprar todos os negócios que lhe apareciam pela frente. Assim parecia mais fácil camuflar a propina paga a quem lhe facilitou negócios.

                    A questão agora é saber como ficaremos, já que essa quadrilha é mais uma que usou nosso dinheiro –  via BNDES – para torrar em ilicitudes. O mínimo que deveria acontecer seria o bloqueio ou arresto imediato das ações das dezenas de empresas compradas com financiamentos a juros camaradas via BNDES.

                    A semana movimentada também nos trouxe o depoimento de uma das figuras mais importantes dos governos petistas, o ex ministro Antonio Palocci.

                  Ao contrário da gravação de Joesley, Palocci expressa-se muito bem. No final de suas mais de duas horas de depoimento, ele moeu com maestria o advogado de Lula, Cristiano Zanin, que tentava jogar fumaça na relação incestuosa entre seu cliente e empreiteiras.  Sobre a relação existente entre oito contratos da Odebrecht com a Petrobras e a compra de uma sede para o Instituto Lula, Palocci explicou:

                  “A Odebrecht trabalha com a Petrobras. A Petrobras dá vantagens para essa empresa. Com as vantagens, ela cria uma conta para destinar aos políticos que a apoiaram. O presidente mantém lá diretores que apoiam a empresa, para dar a ela os contratos. Os contratos geram dinheiro. Com o dinheiro, eles pagam propina aos políticos. A Odebrecht fez um caixa e desse caixa foi sacado o dinheiro que comprou esse prédio que foi dado ao presidente Lula.” Só faltou perguntar ao advogado se precisava desenhar.

                 Palocci confirmou com riqueza de detalhes tudo o que Lula, pessoalmente e por sua defesa, nega. A informações que trouxe ainda confirmaram os conteúdos de vários depoimentos que contradizem o ex-presidente, que tem depoimento marcado para amanhã, quarta feira.

                 Imperdível.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: